Crie suas própias Pastas

Selecione capítulos de diferentes livros e organize-os em sua própria pasta, de forma simples e rápida. Você pode ainda personalizar a capa e disponibilizar o conteúdo em nossa loja para seus alunos ou colegas.

Educação
Pesquisa
Lazer

Capítulos Selecione um ou vários capítulos para montar sua Pasta

Medium 9788527727853

Capítulo 7 | Manobras e Liberação Miofascial

DONATELLI, Sidney Grupo Gen PDF Criptografado

7

Manobras e

Liberação

Miofascial

Introdução

As manobras apresentam as possibilidades dos recursos do toque em todas as camadas do corpo e englobam: liberação miofascial, micromovimentos, alongamentos, desenvolvimento da propriocepção, reorganização somática e mobilização do fluxo energético. Buscamos a soma e a integração desses recursos na “inteligência” e sensibilidade das mãos do terapeuta na linguagem do toque.

As manobras estão organizadas nesta se­quência:

• Em pé para a totalidade do corpo

• Para as costas, em posição sentada

• Para as costas e a coluna, em posições variadas

• Para as costas, na bola de ginástica

• Ativas para as costas

• Para o cíngulo pélvico (cintura pélvica), em decúbito ventral

• Para o cíngulo pélvico (cintura pélvica), em decúbito lateral

• Para o cíngulo pélvico (cintura pélvica), com bolinha

• Para o cíngulo pélvico (cintura pélvica), em decúbito dorsal

Ver todos os capítulos
Medium 9788597013719

9 - Emissão, Liberação, Acompanhamento e Controle da Produção

TUBINO, Dalvio Ferrari Grupo Gen PDF Criptografado

C A P Í T U L O

9

Emissão, Liberação,

Acompanhamento e

Controle da Produção

Objetivos de aprendizagem

Ao final deste capítulo, o aluno deverá ser capaz de:

1. Diferenciar as funções de emissão, liberação, acompanhamento e controle da produção.

2. Identificar as informações contidas em uma ordem de produção.

3. Definir a velocidade de atualização dos dados de produção.

4. Relacionar desempenho da produção com TQC.

5. Aplicar o ciclo PDCA para controle do PCP.

6. Listar itens de controle para o PCP.

1 INTRODUÇÃO

O Capítulo 9 tem por objetivo apresentar as funções de emissão, liberação, acompanhamento e controle da produção, exercidas normalmente pelo pessoal do PCP instalado junto ao chão de fábrica. Inicialmente serão discutidas as funções de emissão e liberação das ordens, que completam o ciclo de programação da produção. Na sequência serão descritas as funções empregadas para o controle e acompanhamento da produção, com ênfase no emprego dos métodos desenvolvidos pelo Controle da Qualidade Total (TQC). Dentro desse aspecto, serão definidos os conceitos de processo e controle como forma de encaminhamento das atividades de acompanhamento e controle da produção por parte do PCP, bem como a utilização do ciclo PDCA para controle de processos, mostrando como ele está relacionado às funções de controle do PCP. Complementando essa visão de TQC, serão apresentadas algumas considerações para o uso da tabela de verificação 5W1H como apoio ao desenvolvimento de medidas de desempenho necessárias à avaliação dos processos produtivos.

Ver todos os capítulos
Medium 9788582715055

Capítulo 33. Síndromes psicomotoras

Paulo Dalgalarrondo Grupo A PDF Criptografado

33

Síndromes psicomotoras

Os dois principais tipos de síndromes psicomotoras são as de agitação psicomotora e as de estupor/catatonia e lentificação psicomotora.

O conhecimento de tais síndromes tem particular relevância para a prática clínica em emergências psiquiátricas e serviços de saúde mental que recebem pacientes em estado agudo

(Wilcox; Duffy, 2015).

Em muitos desses casos, com certa frequência, é difícil estabelecer um diagnóstico nosológico específico (de um transtorno mental específico). Por isso, o recurso inicial ao diagnóstico sindrômico pode ser de considerável utilidade. Também serão abordadas neste capítulo, de forma breve, as síndromes de transtornos disruptivos ou agressivos, relevantes, sobretudo, na psicopatologia da infância e da adolescência.

dade, hostilidade e agressividade (Quadro 33.1)

(Chamberlain; Sahakian, 2007).

Atualmente, há protocolos detalhados para se identificar e lidar clinicamente com quadros graves de agitação psicomotora. Recomendamos aquele realizado pela Universidade de

Ver todos os capítulos
Medium 9788553602759

3. Transferência do direito de superfície

GONÇALVES, Carlos Roberto Editora Saraiva PDF Criptografado

Menciona-se também a possibilidade de se configurar a usucapião quando a concessão do direito de construir foi feita por instrumento particular, permanecendo a edificação ou plantação na posse do adquirente pelo prazo legal; e, ainda, no caso de uma edificação, relativamente à qual se tenham operado os efeitos da acessão, em que o possuidor da edificação, com animus domini, passe a pagar, pelo prazo suficiente à consumação da prescrição aquisitiva, um salário, que implica evidentemente o reconhecimento do domínio do trato de terra sobre o qual está a edificação, aperfei­

çoando-se, assim, a aquisição pelo usucapiente, da edificação, pousada sobre o solo de outrem10.

3. Transferência do direito de superfície

Dispõe o art. 1.372 do Código Civil:

“O direito de superfície pode transferir-se a terceiros e, por morte do superficiário, aos seus herdeiros.

Parágrafo único. Não poderá ser estipulado pelo concedente, a nenhum título, qualquer pagamento pela transferência”.

Ver todos os capítulos
Medium 9788597019759

3 - Sistema dos Direitos e Princípios Fundamentais

PACELLI, Eugênio Grupo Gen PDF Criptografado

capítulo

3

Sistema dos Direitos e

Princípios Fundamentais

3.1 Estado Democrático de Direito e postulados de interpretação

A definição de um modelo de Estado Democrático de Direito depende sempre da perspectiva adotada. A ênfase pode ser dirigida tanto aos aspectos de uma definição prioritariamente ao nível de uma filosofia política, quanto, de outro lado, mais conectada à dogmática do Direito Constitucional, à configuração normativa da ordem estatal, no aspecto político, social, econômico e, enfim, da atribuição de poderes e competências públicas e privadas.

Há, ainda, modelos de definição do Estado Democrático de Direito que se reportam também, e ainda mais especificamente, a uma Filosofia Política

(do Estado) fundamentalmente desatrelada daqueles referenciais valorativos prévios, que, em geral, são utilizados em uma leitura material da Constituição

(material, no sentido de vincular a produção normativa aos valores – bens jurídicos, metas sociais e políticas etc. – consagrados no texto).

Ver todos os capítulos

Visualizar todos os capítulos




Carregar mais