Crie suas própias Pastas

Selecione capítulos de diferentes livros e organize-os em sua própria pasta, de forma simples e rápida. Você pode ainda personalizar a capa e disponibilizar o conteúdo em nossa loja para seus alunos ou colegas.

Educação
Pesquisa
Lazer

Capítulos Selecione um ou vários capítulos para montar sua Pasta

Medium 9788541201582

Capítulo 12 - Indicações e Contraindicações

VIEIRA, Dirceu; VIEIRA, Danielle Monsores Grupo Gen PDF Criptografado

Indicações e

Contraindicações

Capítulo

12

Indicações

As coroas refratárias em porcelana são indicadas para as situações clínicas onde a estética é importante, possibilitando restaurar dentes anteriores e posteriores anatômica, funcional e esteticamente (Fig. 12.1). As indicações são:

Indicações das Coroas Refratárias em Porcelana

Recuperação da estética do sorriso

Substituição de coroas metálicas por razões estéticas

Dentes tratados endodonticamente

Dentes vitalizados com extensa destruição coronária

Lesões cariosas ou traumáticas grandes

Retentor de próteses fixas

Dentes que apresentam defeitos estruturais ou de formação

Dentes com grande destruição, cujo antagonista é um trabalho protético

Perdas ósseas por envolvimento periodontal e endodôntico, com ampla destruição dental

Pacientes alérgicos ao metal

Abrasão com perda de dimensão vertical

Sobre implantes dentais

Pacientes com bom hábito de higiene oral

Ver todos os capítulos
Medium 9788520434628

Distúrbios do Desenvolvimento Sexual

TILLEY, Larry Patrick; SMITH JUNIOR, Francis W. K. Editora Manole PDF Criptografado

398

Consulta Veterinária em 5 Minutos

Distúrbios do Desenvolvimento Sexual

CONSIDERAÇÕES

GERAIS

D

DEFINIÇÃO

• Erros no estabelecimento do sexo cromossômico, gonadal ou fenotípico que causam diferenciação sexual anormal.

• Variedade de padrões desde genitália ambígua até genitália aparentemente normal com esterilidade.

FISIOPATOLOGIA

Diferenciação sexual normal é um processo sequencial — estabelecimento do sexo cromossômico na fertilização (cão: 78, XX ou 78,

XY; gato: 38, XX ou 38, XY), desenvolvimento do sexo gonadal e, finalmente, desenvolvimento do sexo fenotípico.

Distúrbios do Sexo Cromossômico

• Defeitos no número ou na estrutura dos cromossomos sexuais — não disjunção cromossômica durante a meiose leva à trissomia, monossomia; não disjunção mitótica de um único zigoto conduz ao mosaicismo; fusão de zigotos induz ao quimerismo.

• Síndrome XXY (Klinefelter) — 79, XXY (cão);

39, XXY (gato); testículos hipoplásicos; macho fenotípico (genitália normal a hipoplásica); estéril; alguns machos felinos com pelagem casco de tartaruga.

Ver todos os capítulos
Medium 9788527714617

5. Risco da Radiação

KOPANS, Daniel B. Grupo Gen PDF Criptografado

5

Risco da Radiação

Em 1976, o estudo do Health Insurance Plan of New York havia começado a demonstrar os benefícios da triagem do câncer de mama. O programa Breast Cancer Detection Demonstration Project estava em andamento quando Bailar expressou a preocupação de que as doses de radiação necessárias para mamografia na década de 1960 poderiam induzir tantos cânceres quanto aqueles curados graças à detecção precoce pela mamografia (1). Essa avaliação pessimista gerou temores intensos e resultou em queda brusca no uso da mamografia. Incentivou-se uma reavaliação do risco em potencial da radiação para a mama, bem como pesquisas sobre técnicas de redução das doses mamográficas. As doses atuais para mamografia são bem inferiores àquelas usadas por Bailar nas suas estimativas, pois se demonstrou que suas estimativas eram excessivas. Múltiplos revisores concluíram que o risco é muito baixo e talvez até inexistente, certamente para mulheres na faixa etária de triagem a partir de

Ver todos os capítulos
Medium 9788530985479

Capítulo 2 – Bases para uma Teoria da Interpretação dos Atos Processuais

TERCEIRO NETO, João Otávio Grupo Gen ePub Criptografado

No capítulo anterior, delimitou-se o objeto da interpretação sobre a qual se teorizará: os atos processuais lato sensu. Agora, a fim de construir uma teoria hermenêutica, é preciso propor ou, ao menos, resgatar conceitos fundamentais que possibilitem a compreensão do fenômeno interpretativo de forma satisfatória. É o que se procurará fazer nesta parte do trabalho.

Primeiro, serão estudados os signos linguísticos, por serem a base da comunicação no processo civil. A partir da análise do uso pragmático dos signos na linguagem, poder-se-á examinar, em termos gerais, a interpretação no Direito, bem como divisar os fatores que a tornam problemática.

Em seguida, serão confrontadas a interpretação dos atos jurídicos e a interpretação da lei, visando a ressaltar as suas diferenças e a afastar equívocos cometidos pela doutrina. Para isso, será preciso revisitar o dogma da vontade do legislador e evidenciar a sua superação.

Depois, seguir-se-á à identificação do regime jurídico aplicável à interpretação dos atos processuais. Nesse ponto, será necessário analisar o dogma da irrelevância da vontade no processo, refutando-o, a fim de aproximar os atos jurídicos de direito material e processual.

Ver todos os capítulos
Medium 9788527722490

1 - Infecção e Doença Infecciosa

Coura, José Rodrigues Grupo Gen PDF Criptografado

1

Infecção e

Doença Infecciosa

José Rodrigues Coura e Marcelo André Barcinski

cc

Introdução

Classicamente define-se infecção como penetração, multiplicação e/ou desenvolvimento de um germe ou parasito em determinado hospedeiro, e doen­ça infecciosa como as manifestações dos danos causados pelo agente infeccioso no organismo e sua exteriorização clínica por meio de sintomas e sinais. Em outras palavras, infecção é o estabelecimento da interação parasito-hospedeiro e doen­ça infecciosa é o conjunto de manifestações clínicas e patológicas quando ocorre dano naquela relação (Coura, 1977).

Quando um agente infeccioso “aborda” um hospedeiro, as seguintes alternativas podem ocorrer: a) Não se desenvolve por falta de condições adequadas para habitat, como elementos para o seu metabolismo ou condições desfavoráveis para a sua penetração e desenvolvimento b) Desenvolve-se de forma incompleta devido a uma ou mais das causas mencionadas anteriormente c) Desenvolve-se de forma completa, interagindo com o hospedeiro, sem sofrer resistência, mas também sem lhe causar danos d) Desenvolve-se de forma completa e sem causar danos, embora tenha sofrido resistência e) Desenvolve-se de forma completa, e embora sofrendo resistência, consegue causar danos ao hospedeiro, por invasão dos tecidos, por produzir toxinas ou por induzi-lo a uma reação inflamatória e de hipersensibilidade.

Ver todos os capítulos

Visualizar todos os capítulos