Crie suas própias Pastas

Selecione capítulos de diferentes livros e organize-os em sua própria pasta, de forma simples e rápida. Você pode ainda personalizar a capa e disponibilizar o conteúdo em nossa loja para seus alunos ou colegas.

Educação
Pesquisa
Lazer

Capítulos Selecione um ou vários capítulos para montar sua Pasta

Medium 9788520436318

13. Junção neuromuscular e contração muscular

WARD, Jeremy P. T.; LINDEN, Roger W. A. Editora Manole PDF Criptografado

13 Junção neuromuscular e contração muscular

(a)

(b)

Desenho esquemático da estrutura de uma junção neuromuscular

Liberação do neurotransmissor na junção neuromuscular e reciclagem

ACh

Motoneurônio

Mielina

Vesícula vazia

Camada fina de

AChE (na fenda)

Fenda sináptica

Placa terminal

Bainha da célula de Schwann

Axônio

Mitocôndrias

Na+ +

K

Vesículas que contêm

ACh

Ca2+

ACh

Ca2+

K+

ACh

Pregas juncionais (que contêm canais de Na+ e K+ dependentes da voltagem)

Receptores de ACh

Membrana pré-juncional

Núcleo da célula muscular

Na+

Colina acetiltransferase

AChE

Colina + acetato

Fenda sináptica

ACh

Membrana pós-juncional

Miofibrila

Na+

Receptor de ACh

(c)

Voltagem (mV)

Diagrama dos potenciais na placa terminal

Relação entre o início do potencial de ação e os tipos de fibras musculares de contração rápida e lenta

Ver todos os capítulos
Medium 9788582710906

Capítulo 81 - Trauma abdominal

Rafael Barberena Moraes; Márcio Manozzo Boniatti; Paulo Ricardo C. Cardoso; Thiago Lisboa; Elvino Barros Grupo A PDF Criptografado

TRAUMA ABDOMINAL

LEITURAS SUGERIDAS 

Advanced trauma life support for doctors student: course manual. 8th ed. Chicago: American College of Surgeons; 2008.

Bernardin B, Troquet JM. Initial management and resuscitation of severe chest trauma. Emerg Med Clin North

Am. 2012;30(2):377-400.

Irwin RS, Rippe JM, editors. Irwin and Rippe’s intensive care medicine. 7th ed. Philadelphia: Lippincott Williams

& Wilkins; 2012.

Kiraly L, Schreiber M. Management of the crushed chest. Crit Care Med. 2010;38(9 Suppl):S469-77.

CAPÍTULO 81

TRAUMA ABDOMINAL

LUÍS FELIPE MALLMANN

ABORDAGEM E TRATAMENTO  O manejo de trauma fechado e penetrante de abdome e pelve inclui:

• Restabelecimento das funções vitais e otimização da oxigenação e perfusão tecidual;

• Reconhecimento imediato de fontes de hemorragia, com ênfase no seu controle (p. ex., estabilização pélvica);

• Esclarecimento sobre o mecanismo do trauma;

• Exame físico inicial meticuloso, repetido a intervalos regulares. É fundamental o envolvimento precoce do cirurgião na avaliação de todo paciente com suspeita de trauma abdominal que chegue à emergência;

Ver todos os capítulos
Medium 9788547222918

6. Conservação

SERRA, Márcio Guerra Editora Saraiva PDF Criptografado

6

Conservação

Devido ao fato de os Serviços Notariais e de Registros serem uma ativi‑ dade pública exercida em caráter privado, o delegado dos Serviços Notariais e de Registro exerce sua atividade em nome do Poder Público, de modo que o acervo da Serventia tem natureza pública, pertencendo ao Poder Delegante, entregue em confiança ao delegado.

Em decorrência deste raciocínio e em virtude da relevância das infor‑ mações contidas nos livros de registro, estabelece o art. 22 da Lei n. 6.015/73 que os livros de registro, bem como as fichas que os substituam, somente sairão do respectivo cartório mediante autorização judicial. Esta disposição visa evitar o risco maior de extravio e danificação que a saída do cartório traria a estes livros e fichas.

Tamanha foi a preocupação do legislador com este acervo que a mesma lei, em seu art. 23, ressalta ainda que todas as diligências judiciais ou extraju‑ diciais que exigirem a apresentação de qualquer livro, ficha substitutiva de livro ou documento, efetuar‑se‑ão no próprio cartório.

Ver todos os capítulos
Medium 9788547215743

Apresentação da Primeira Edição

GAGLIANO, Pablo Stolze; PAMPLINA FILHO, Rodolfo Editora Saraiva PDF Criptografado

Apresentação da Primeira Edição

No estimulante momento em que vivemos, de verdadeira ebulição intelectual, com o advento do novo Código Civil, é com prazer e renovada esperança que apresento à comunidade jurídica de meu país o volume II do Novo

Curso de Direito Civil, versando sobre a Teoria Geral das Obrigações, e de autoria de dois jovens e já consagrados juristas, os Professores Pablo Stolze

Gagliano e Rodolfo Pamplona Filho.

A leitura deste novo livro, tão esperado por mim, confirma a magnífica impressão que já me deixara o primeiro volume, e a certeza de que a obra irá contribuir, e muito, para a formação profissional das futuras gerações de advogados.

Os autores conseguiram, com elogiável poder de síntese, mas sem prejuízo da profundidade dogmática, enfrentar os desafios do estudo das Obrigações, tanto à luz do Código de 1916 quanto do novo, in­ter­pretando, com sensibilidade, as transformações éticas trazidas pelo novo diploma.

A socialidade e a eticidade, que, no dizer dos autores do projeto, caracterizam o novo Código, estão ressaltadas pelos Professores Pablo Gagliano e

Ver todos os capítulos
Medium 9788547212681

Capítulo VIII - AÇÃO CIVIL PÚBLICA E INQUÉRITO CIVIL

ROSA, Márcio Fernando Elias Editora Saraiva PDF Criptografado

Capítulo VIII

AÇÃO CIVIL PÚBLICA E INQUÉRITO CIVIL

1   INTRODUÇÃO

A tutela jurisdicional coletiva exercida por meio da ação civil pública permite aos que detêm legitimidade ativa a defesa de interesses ou direitos coletivos em sentido amplo (difusos, coletivos ou individuais homogêneos). A tutela coletiva se caracteriza pela possibilidade de o processo civil contemplar a defesa de interesses cujos titulares não sejam determinados, vinculados entre si ou com o objeto, a partir de relações fáticas ou jurídicas e que se mostre a todos igual ou indivisível. A ação coletiva, por fim, admite que a coisa julgada reúna eficácia erga omnes ou ultra partes, extrapolando os limites da relação processual, disciplinando situação jurídica que beneficie terceiros.

No campo restrito do controle da Administração, a ação civil pública tem enorme aplicação prática, porque pode abrigar pretensões dirigidas em face dos Poderes Públicos, da Administração Pública direta e das entidades da Administração Indireta. Diferentemente de outros instrumentos processuais, a ação civil pública não se dirige exclusivamente ao controle da Administração Pública, mas nada impede que seja também utilizada com tal propósito.

Ver todos os capítulos

Visualizar todos os capítulos