Crie suas própias Pastas

Selecione capítulos de diferentes livros e organize-os em sua própria pasta, de forma simples e rápida. Você pode ainda personalizar a capa e disponibilizar o conteúdo em nossa loja para seus alunos ou colegas.

Educação
Pesquisa
Lazer

Capítulos Selecione um ou vários capítulos para montar sua Pasta

Medium 9788521632832

Capítulo 1 • Introdução

STUTZMAN, Warren L.; THIELE, Gary A. Grupo Gen PDF Criptografado

Capítulo

1

Introdução

Princípios fundamentais são apresentados neste livro de forma que estudantes possam aplicá‑los pron‑ tamente à análise e ao projeto de antenas. Os princípios físicos de eletromagnetismo são usados para entender o funcionamento de antenas. Problemas de projeto de antenas são resolvidos usando os princí‑ pios físicos juntamente com métodos matemáticos e computacionais, mas a ênfase é voltada à redução da física e da matemática a um nível compreensível. Antes de desenvolver as ferramentas matemáticas para o projeto de antenas nos capítulos subsequentes, o presente capítulo apresenta uma introdução ao campo de antenas, assim como uma visão de princípios básicos, terminologia e áreas de aplica‑

ção. Começamos com uma breve história de antenas e os associados desenvolvimentos tecnológicos.

Referências a trabalhos da literatura especializada são encontradas no fim de cada capítulo em que

é feita a citação. Além disso, uma lista de livros sobre antenas é apresentada no Apêndice H, na qual os livros são agrupados por assunto, para auxiliar o estudante a encontrar mais detalhes. Citações dos livros no Apêndice H são feitas na seguinte forma: [H.x.y: Autor, números das páginas]. As definições de termos de antenas de IEEE* [H.2: IEEE] são seguidas em todo o livro.

Ver todos os capítulos
Medium 9788582714959

Capítulo 101. Parestesia

Alberto Augusto Alves Rosa; José Luiz Möller Flôres Soares; Elvino Barros Grupo A PDF Criptografado

PARESTESIA

peita (encefálica ou medular alta – transição craniocervical). Caso contrário, eletroneuromiografia e estudos da condução nervosa são recomendados.

TRATAMENTO ► Os tratamentos são de acordo com a causa, podendo

haver reversão completa ou não e deverá ser avaliado do ponto de vista fisioterápico.

REFERÊNCIA ►

Netter FH, Jones HR, Burns TM, Aminoff MJ, Pomeroy SL. Coleção Netter de ilustrações médicas: sistema nervoso. 2. ed. Rio de Janeiro: Elsevier; 2014.

LEITURAS RECOMENDADAS ►

Brust JCM. O exame motor: há sempre mais do que fraqueza. In: Brust JCM. A prática da neurociência. [São

Paulo]: Reichmann & Affonso; 2000.

Csuka M, McCarty DJ. Simple method for measurement of lower extremity muscle strength. Am J Med.

1985;78(1):77-81.

Friedman HH. Weakness of neuromuscular origin. In: Friedman HH, editor. Problem-oriented medical diagnosis.

7th ed. Philadelphia: Lippincott Williams & Wilkins; 2001.

Olney RK, Aminoff MJ. Weakness, myalgias, disorders of movement, and imbalance. In: Braunwald E, Fauci

Ver todos os capítulos
Medium 9788521632009

26 - A Refração da Luz: Lentes e Instrumentos Ópticos

CUTNELL, John D.; JOHNSON, Kenneth W. Grupo Gen PDF Criptografado

Capítulo

26

A Refração da Luz: Lentes e

Instrumentos Ópticos

26.1 O Índice de Refração

Como discutido na Seção 24.3, a luz se propaga no vácuo a uma velocidade escalar c 5 3,00 3 108 m/s. Ela também pode se propagar através de diversos meios materiais, como o ar, a água e o vidro. No entanto, os átomos do meio absorvem, emitem novamente e espalham a luz. Portanto, a luz se propaga no meio material a uma velocidade que é menor do que c e a velocidade real depende da natureza do meio material. Em geral, veremos que a variação da velocidade quando um raio de luz passa de um meio material para outro faz com que o raio se desvie da sua direção incidente. Esta mudança de direção é chamada de refração. Para descrever até que ponto a velocidade de propagação da luz em um meio material difere da sua velocidade no vácuo, usamos um parâmetro chamado de

índice de refração (ou índice refrativo). O índice de refração é um parâmetro importante, pois ele aparece na lei da refração de Snell, que será discutida na próxima seção. Esta lei é a base de todos os fenômenos discutidos neste capítulo.

Ver todos os capítulos
Medium 9788521622420

Parte 2 - 4 - Aprendizado e Percepção

HITT, Michael A.; MILLER, C. Chet; COLELLA, Adrienne Grupo Gen PDF Criptografado

4

aprendizado e percepção explorando o comportamento em ação

A Importância Estratégica do Aprendizado e da Percepção

A

VF Corporation, com sede em Greensboro, Carolina do Norte, é a maior fabricante do mundo de vestuário,  com receitas superiores aos U$7 bilhões anuais. Existem chances de que você tenha em seu armário vários itens de vestuário dessa marca. Suas mais de trinta marcas são: Wrangler, Lee, Vans, The North Face, 7 For All Mankind e Jansport.

Em 2004, a VF Corporation lançou um novo plano de crescimento, que vem sendo incrivelmente bem sucedido. A meta desse plano era transformar a VF Corporation em uma empresa de vestuário para um estilo de vida globalizado. No centro do plano estão os Direcionadores de Crescimento, um do quais diz respeito a construir novos facilitadores do crescimento. A empresa descreve esse objetivo como: “Elevar nossa empresa para novos patamares requer novas habilidades e competências e investimentos em áreas que são especificamente projetadas para dar suporte a nosso crescimento... [S]abemos que proporcionar a nossos líderes e funcionários novas ferramentas e treinamento que estendam suas habilidades é crucial para nosso sucesso continuado.” Assim, aprendizado, desenvolvimento e compartilhamento de conhecimentos entre os funcionários passaram a ser os principais direcionadores da nova estratégia da VF Corporation: “Aprendizado e desenvolvimento proporcionam uma contribuição significativa para o sucesso contínuo de nossa empresa.”

Ver todos os capítulos
Medium 9788530968731

CAPÍTULO 21 – CADUCIDADE DOS LEGADOS

NADER, Paulo Grupo Gen PDF Criptografado

Capítulo

21

CADUCIDADE DOS LEGADOS

Sumário: 112. Considerações prévias. 113. Modificação da coisa legada.

114. Alienação total ou parcial da coisa legada. 115. Perecimento da coisa.

116. Evicção da coisa. 117. Indignidade do legatário. 118. Premorte do legatário.

119. Perecimento da coisa em legado alternativo. 120. Desapropriação da coisa legada. 121. Caducidade nos testamentos especiais.

112. CONSIDERAÇÕES PRÉVIAS

Um legado se torna caduco quando, após a feitura do testamento, ocorre determinado fato previsto na Lei Civil, que lhe retira os efeitos jurídicos. Caducidade significa, destarte, perda de eficácia da deixa testamentária por motivo superveniente à sua instituição. O seu conceito não se confunde com o de invalidade, pois o negócio jurídico não padece de vício. Ao contrário, para que se opere a caducidade é indispensável tanto a existência quanto a validade do legado.1 Enquanto o vício se caracteriza no momento da declaração de vontade, a caducidade é fato posterior ao negócio jurídico. A palavra caducidade provém do latim cadere e, em nossa língua, quer dizer cair, perecer.

Ver todos os capítulos

Visualizar todos os capítulos