Crie suas própias Pastas

Selecione capítulos de diferentes livros e organize-os em sua própria pasta, de forma simples e rápida. Você pode ainda personalizar a capa e disponibilizar o conteúdo em nossa loja para seus alunos ou colegas.

Educação
Pesquisa
Lazer

Capítulos Selecione um ou vários capítulos para montar sua Pasta

Medium 9788536314709

1 - Os jogos nas aulas de matemática do ensino médio

Smole, Kátia Stocco Grupo A PDF Criptografado

Ensino Médio – Jogos de Matemática

1

9

Os Jogos nas Aulas de

Matemática do Ensino Médio

A

utilização de jogos na escola não é algo novo, assim como é bastante conhecido o seu potencial para o ensino e a aprendizagem em muitas áreas do conhecimento.

Em se tratando de aulas de matemática, o uso de jogos implica uma mudança significativa nos processos de ensino e aprendizagem que permite alterar o modelo tradicional de ensino, que muitas vezes tem no livro e em exercícios padronizados seu principal recurso didático. O trabalho com jogos nas aulas de matemática, quando bem planejado e orientado, auxilia o desenvolvimento de habilidades como observação, análise, levantamento de hipóteses, busca de suposições, reflexão, tomada de decisão, argumentação e organização, as quais são estreitamente relacionadas ao assim chamado raciocínio lógico.

As habilidades desenvolvem-se porque, ao jogar, os alunos têm a oportunidade de resolver problemas, investigar e descobrir a melhor jogada; refletir e analisar as regras, estabelecendo relações entre os elementos do jogo e os conceitos matemáticos. Podemos dizer que o jogo possibilita uma situação de prazer e aprendizagem significativa nas aulas de matemática.

Ver todos os capítulos
Medium 9788553600434

2. LEGITIMIDADE

GAGLIANO, Pablo Stolze Editora Saraiva PDF Criptografado

2. LEGITIMIDADE

Anote-se que, à luz do art. 1.582, o pedido de divórcio somente competirá aos cônjuges, mas, se qualquer deles for incapaz (por exemplo, em função de uma superveniente doença mental) para propor a ação ou defender-se, poderá fazê-lo o seu curador, o ascendente ou o irmão.

Sobre o tema, com a erudição de sempre, FLÁVIO TARTUCE e JOSÉ

FERNANO SIMÃO prelecionam:

“Assim como a ação de separação judicial, a ação de divórcio é personalíssima, pois o seu pedido somente cabe aos cônjuges (art. 1.582 do CC).

Mas no caso de incapacidade do cônjuge para propor a ação (exemplo: cônjuge interditado), a lei prevê a legitimidade do curador, do ascendente ou do irmão. Discute-se a legitimidade do MP em casos tais, já que a lei não a prevê nesse dispositivo especial. Visando afastar essa dúvida, o PL

6.960/2002 pretende introduzir a legitimidade do Ministério Público”107.

Parece-nos, realmente, o melhor entendimento sobre a matéria.

3. PETIÇÃO INICIAL E DOCUMENTOS

Ver todos os capítulos
Medium 9788530982485

PARTE II - Capítulo XVII – Adicionais Salariais

STURCHI, Victor Hugo Nazário Grupo Gen PDF Criptografado

Capítulo XVII

Adicionais Salariais

1. Adicionais. São os acréscimos salariais decorrentes da prestação de serviços do empregado em condições mais gravosas. São divididos em adicionais de horas extras, noturno, de insalubridade, de periculosidade e de transferência.

2. Adicional de horas extras. É devido pelo trabalho extraordinário e tem valor de pelo menos 50% da hora normal (sendo admitido valor maior por negociação coletiva ou simples deliberação do empregador).

Poderão ser pactuadas por acordo individual, convenção coletiva ou acordo coletivo de trabalho, em número não excedente a duas horas diárias.

Se as horas extras forem habituais, farão parte da base para o cálculo de outras verbas, como indenização por rompimento imotivado do contrato de trabalho,

13º salário, Fundo de Garantia do Tempo de Serviço e aviso prévio indenizado.

O adicional noturno integra a base de cálculo das horas extras prestadas no período noturno (OJ 97 da SDI-1 do TST).

Ver todos os capítulos
Medium 9788547202613

I.1. O SURGIMENTO DAS EMPRESAS ESTATAIS NOBRASIL

SCHIRATO, Vitor Rhein Editora Saraiva PDF Criptografado

I

Uma perspectiva histórica das empresas estatais no Brasil

Conforme brevemente descrito, o histórico da atuação das empresas estatais no Brasil não é uniforme. Houve momentos em que as empresas estatais atuavam em uma vasta gama de atividades econômicas e outros em que o leque de atividades desempenhadas pelas empresas estatais foi consideravelmente reduzido. O atual período parece ser um momento intermediário, em que se reforça a atuação empresarial do Estado em alguns setores, ao mesmo tempo em que se verifica a retirada do Estado de outros.

Neste capítulo, teremos como objetivo percorrer, de forma bastante breve, o histórico da atuação das empresas estatais no

Brasil, anteriormente ao efetivo início do desenvolvimento do tema que constitui o cerne da pesquisa do presente estudo.

I.1. O SURGIMENTO DAS EMPRESAS ESTATAIS NO

BRASIL

O surgimento das empresas estatais no Brasil é anterior até mesmo à independência brasileira, sendo marcado pela chegada da família real portuguesa ao Rio de Janeiro, no início do século XIX, e uma das primeiras providências da família real foi exatamente determinar a constituição do Banco do Brasil, em 1808. Constituía-se, então, a primeira empresa efetivamente brasileira1.

Ver todos os capítulos
Medium 9788547222826

19.4. Conceito de sentença em sentido estrito

CAPEZ, Fernando Editora Saraiva PDF Criptografado

do processo, sem o julgamento do mérito da causa. Tais decisões subdividem-se em:

(iii) interlocutórias mistas não terminativas: são aquelas que encerram uma etapa procedimental (ex.: decisão de pronúncia nos processos do júri popular);

(iv) interlocutórias mistas terminativas: são aquelas que culminam com a extinção do processo sem julgamento de mérito (ex.: nos casos de rejeição da denúncia, pois encerram o processo sem a solução da lide penal).

Há ainda o sentido geral que abarca as sentenças e os acórdãos, que são as decisões dos tribunais (de 2º grau), quando nas situações equivalentes, como defende Denílson Feitoza140.

19.4.  Conceito de sentença em sentido estrito

Sentença em sentido estrito (ou em sentido próprio) é a decisão definitiva que o juiz profere solucionando a causa. Melhor dizendo, é o ato pelo qual o juiz encerra o processo no primeiro grau de jurisdição, bem como o seu respectivo ofício.

19.4.1.  Classificação das sentenças em sentido estrito

Ver todos os capítulos

Visualizar todos os capítulos